Açafrão das Índias Raíz

3.508.50

Nome Comum: Açafrão-da-Índia, açafrão-da-terra, açafrão-dos-trópicos, falso-açafrão, curcuma, gengibre amarelo e turmérico.

Origem: Índia

Nome Cientifico: Curcuma longa L.

Limpar
REF: Esp002 Categoria: Etiquetas: ,

Descrição

História: Tendo sido o primeiro registo do seu uso na história em 600 a.C, o açafrão-da-índia é uma das especiarias mais antigas do mundo. Embora amplamente utilizado no Extremo Oriente durante séculos, a especiaria era relativamente inédita no mundo ocidental até ao século XIII, até ao descobridor Marco Polo ter observado as suas semelhanças com o açafrão mais caro. Foi trazido da Índia para o mundo através dos dos percursos dos mercadores árabes ou das caravelas quinhentistas dos Portugueses.

Em medicina chinesa é um remédio tradicional contra a icterícia e nas ultimas décadas o uso corrente do açafrão no tratamento de problemas digestivos e hepáticos tem sido confirmado pela investigação. A planta tem sido tradicionalmente usada como fluidificante do sangue e na redução dos níveis de colesterol.

A curcumina , componente principal do caril, particularmente utilizado na alimentação indiana, tem sido considerada responsável pela baixa incidência de Alzheimer na Índia. Para além da sua forte actividade antioxidante, a curcumina tem sido intensivamente estudada como agente anti-cancerígeno. Recentemente, foi verificado o seu papel na indução dos apoptose e como quimioprotector na inibição da formação de metástase em cancros da mama.

O pó micronizado do rizoma (100 mg, ½ hora após as refeições) é usada em problemas dispépticos. Na índia, o rizoma em pó ou sob forma de tintura é usado na tosse, em feridas, no reumatismo, na sinusite, e em problemas digestivos.

O pó do rizoma é aromático, usado frequentemente como especiaria para dar sabor ou cor aos pós de caril, às mostardas, às manteigas e aos queijos. Muito usado como corante (amarelo natural nº 3), especilamnete em alimentos e molhos, e em cofeitaria. É empregue na mostarda inglesa que acompanha tradicionalmente carnes frias e picles. Na culinaria, é usada em variadíssimos pratos. Cozinhar a curcuma junto com outros alimentos ajuda na digestão de gorduras, preservando os alimentos por mais tempo.

Utilização: Carnes vermelhas, brancas, aves, peixe, legumes, arroz, massas e molhos.

Constituintes e Propriedades: É indicado em problemas dispépticos (dificuldade digestiva), anti-inflamatório e cancro (especialmente do colon e da mama). Utiliza a curcuma na alimentação, e é preciso ter em conta que deve ser utilizada com pimenta preta para potenciar os seus princípios activos .

Precauções: Por ter uma leve acção antiplaquetária, evitar o seu emprego se tomar medicamentos que diminuem a coagulação sanguínea, e não tomar duas semanas antes de uma cirurgia.

CUNHA, A. Proença da, RIBEIRO, Odete Rodrigues. “Especiarias e Plantas Condimentares, origens, composição e utilizações”. Fundação Calouste Gulbenkian, 2015

PINTÃO, Ana Maria, SILVA, Inês Filipa da. “A verdade sobre o Açafrão” workshop Plantas Medicinais e Fitoterapêuticas nos Trópicos, IICT/CCCM, 29, 30 e 31 de Outubro de 2008

Informação adicional

Peso N/A