Canela do Ceilão – Pau

2.2017.00

Origem: Sri Lanka

Nome Científico: Cinnamomum zeylanicum Ness.

Limpar
REF: Esp006 Categoria: Etiquetas: ,

Descrição

História: O primeiro registo de uso de canela foi no antigo Egipto, mas também é mencionada muitas vezes na Bíblia (Moisés usou-a como ingrediente na unção do Tabernáculo). Tem sido utilizada em todo o mundo como um alimento e como um perfume, e o seu aroma revelou-se particularmente popular entre os romanos. Contudo, na Idade Média a oferta não conseguiu acompanhar a procura e o seu valor subiu para níveis elevados. Para alimentar as massas, os exploradores europeus partiram para o Novo Mundo para encontrar canela, mas só quando os comerciantes portugueses chegaram a Sri Lanka, no início do século XVI, foi encontrada uma fonte grande o suficiente.

É uma árvore originária do Sri Lanka (antigo ceilão) e da Índia que foi depois introduzida nas ilhas do oceano Índico e Asiático, mas continuando o Sri Lanka a ser o maior exportador.

Durante muito tempo houve confusão com o termo francês para a canela “cinnamon” e a palavra inglesa “cassia”, ambas indicando a especiaria canelas. Só a primeira corresponde à verdadeira canela, a canela-do-ceilão obtida da caneleira-de-ceilão, a espécie Cinnamomum zeylanicum Ness. São usadas indiferentemente, mas os sabores diferem, a “cassia”, a canela-da-china (Cinnamomum cassia Blume) é de sabor menos delicado e tem menos valor comercial.

A colheita da casca é feita cinco anos após o plantio, quando ela naturalmente, se solta do troco (geralmente no outono)

Constituintes e Propriedades: Anti-inflamatório, antiespasmódica, na dismenorreia, antifúngico, antibacteriano, estimulante das secreções digestivas, colites e diarreias infantis.

Utilização: É usado para condimentar presunto e alguns tipos de carne, mais na aromatização de doces, pães-doces, arroz-doce, tortas de fruta, cremes para pastéis e panquecas doces, frutas condimentadas, compotas e pudins; também em bebidas quentes, como o chocolate, os ponches e o café, sendo, muitas vezes, aromatizados com a simples introdução de paus de canela.

Precauções: As preparações com canela não devem usar-se em caso de úlcera gástrica ou intestinal, nem durante a gravidez. Quantidades excessivas irritam as mucosas.

CUNHA, A. Proença da, RIBEIRO, Odete Rodrigues. “Especiarias e Plantas Condimentares, origens, composição e utilizações”. Fundação Calouste Gulbenkian, 2015

Informação adicional

Peso N/A

Também pode gostar…