Espinheira Santa (Folha)

5.0025.00

Origem: Brasil

Nome Científico: Maytenus ilicifolia

Características: É usado em gastrites, dores de estômago, ulceras gástricas e azia. É um antioxidante, diurético, depurativo do sangue, anti-infeciosa, combate a acne, eczemas e é cicatrizante. Combate a H. Pylori e ao refluxo.

Limpar
REF: INF047 Categorias: , Etiqueta:

Descrição

História: Originária da América do Sul, a espinheira-santa se desenvolve em três biomas: no Cerrado, na Mata Atlântica e, principalmente, no Pampa. Está presente, também, em regiões do Paraguai, da Bolívia e da Argentina.

No Brasil, os indígenas sempre utilizaram a espinheira-santa para combater tumores, daí surgindo um dos nomes populares pelos quais a espécie também é conhecida: erva-cancerosa.

Constituintes e Propriedades: É usado em gastrites, dores de estômago, ulceras gástricas e azia. É um antioxidante, diurético, depurativo do sangue, anti-infeciosa, combate a acne, eczemas e é cicatrizante. Combate a H. Pylori e ao refluxo.

É indicada principalmente nas úlceras gástricas, gastralgias e dispepsias. É usada também como antiasmática, contraceptiva e antitumoral. Grande parte dos estudos realizados com a Espinheira Santa foram realizados no Brasil. Um dos primeiros estudos mostrou que a maitenina apresenta uma actividade antibacteriana in vitro frente às bactérias Gram positivas, tais como: o Bacillus subtilis, Stafilococcus aureuse Streptococcusspp. Na Argentina também se constatou esses resultados. A maitenina também apresentou actividade inibitória de sarcomas em experimentos realizados. Quando estas provas foram ensaiadas em pacientes com distintas patologias neoplásicas avançadas resistentes à quimioterapia, puderam observar resultados positivos empregando-se doses de 150 mcg/kg diárias em carcinomas epidermoides nas amígdalas, na base da língua e na faringe. Em todos os casos, a redução das lesões foi entre 40 e 60% durante o período do experimento, não se observando toxicidade gastrintestinal e nem alterações hematológicas. Cinco anos mais tarde, pôde-se constatar a actividade antitumoral do alcalóide maitansina. Essa substância exerce uma acção através da interferência na síntese da tubulina, uma proteína que intervém na síntese dos microtúbulos, necessários para o funcionamento correto das organelas da célula tumoral.

Precauções: As grávidas, latentes e crianças com menos de 12 anos e pessoas alérgicas à Espinheira Santa.

Infusão: 4 colheres de chá para 1 litro de água fervida e deixar repousar cerca 8 a 10 min. Tomar 3 vezes ao dia.

Bibliografia: http://florien.com.br/wp-content/uploads/2016/06/ESPINHEIRA-SANTA-1.pdf

https://www.ppmac.org/content/espinheira-santa

Informação adicional

Peso N/A